FOTO_DEFESA_JAIR_.jpg

O Professor Jair Martins, defendeu, no dia 27 de agosto, a sua tese de doutoramento intitulada Cross-linguistic influence in multilingual contexts: the processing and acquisition of L3 English datives by Cape Verdean-Portuguese bilinguals (“Influência trans-linguística em contextos multilingues: o processamento e aquisição de construções dativas do inglês L3 por falantes bilíngues que têm o cabo-verdiano como L1 e o português como L2”), na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil. A tese contou com a orientação da Professora Doutora Roberta Pires de Oliveira e co-orientação da Professora Doutora Mailce Borges Mota, ambas do Programa de Pós-Graduação em Inglês da UFSC. Além da orientadora e co-orientadora, a banca examinadora foi ainda composta pelos Professores Doutores Celso Tumolo da UFSC, Gerrit Jan Kootstra da Radboud University Nijmegen da Holanda e Marcus Maia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, este dois últimos por video-conferência.

A pesquisa envolveu dois grupos de participantes, sendo um grupo iniciante e o outro intermediário em termos de proficiência em inglês L3. Através do uso de duas tarefas de priming sintático (uma tarefa de descrição de imagem off-line e uma tarefa de leitura auto-monitorada on-line), uma tarefa de tradução e um questionário, três estudos distribuídos em três modalidades (leitura, produção oral e produção escrita), debruçam-se sobre os processos cognitivos implícitos (para participantes de proficiência intermediária) e explícitos (para iniciantes) que medeiam a transição das construções dativas não-alternadas do cabo-verdeano (L1) (somente aceita o duplo-objeto) e do português (L2) (aceita somente o objeto preposicional) para as construções dativas alternadas do inglês (L3) (aceita as duas construções sintáticas).

As tarefas de priming sintático tiveram como objetivo principal verificar se os efeitos de priming ocorreriam nas duas combinações testadas (L1-L3 e L2-L3) ao nível implícito e, se sim, investigar as possíveis causas desses efeitos. O questionário inquiriu os participantes sobre em qual língua de origem (L1ou L2) eles se baseiam para facilitar a sua aprendizagem de inglês L3. Essa informação foi analisada qualitativamente e quantitativamente em comparação com o desempenho dos participantes na tarefa de tradução para verificar se o uso real de construções dativas do ingles L3 na escrita se explica pela sua preferência de língua (tal como expressa no questionário) ou pela língua estímulo (L1 ou L2) usada no texto a trauzir.

Os resultados dos três estudos mostram de forma consistente que a língua de estímulo influencia as estratégias de processamento na língua-alvo, tanto a nível implícito como a nível explícito. Os dois estudos de priming sintático produziram efeitos entre o L1 e o L3, sugerindo interação entre as suas representações sintáticas. Não foram encontrados efeitos de priming entre o L2 e o L3. Os efeitos de priming encontrados dão suporte às teorias de sintaxe compartilhada e de aprendizagem implícita. Os resultados da tarefa de tradução fornecem evidência a favor do Modelo de Primazia Tipológica e contra o Fator Status do L2. Algumas implicações pedagógicas são discutidas relativamente aos resultados na conclusão da tese.