IMG_6734.jpg

“A Inserção de Cabo Verde na Economia Mundial e a Adesão à Organização Mundial do Comércio (OMC): Que Implicações?” foi o tema de uma tertúlia organizada pela Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes (FCSHA) da Universidade de Cabo Verde, na segunda-feira, dia 14 de janeiro, no auditório do Campus de Palmarejo.

A tertúlia contou com os oradores Benvindo Reis, Técnico Superior do Ministério da Indústria, Comércio e Energia, e António Baptista, docente da Escola de Negócios e Governação da Uni-CV, tendo como moderador Rui Pereira, docente da FCSHA da Uni-CV.

O docente António Baptista debruçou-se sobre a importância das relações entre as nações, como estratégia viável de desenvolvimento e sobre a adesão das nações à Organização Mundial do Comércio como condição necessária, mas não suficiente, para o desenvolvimento dessas mesmas nações. Afirmou que é preciso pensar essa lógica de integração económica nas suas vantagens comparativas, mas também nas suas desvantagens comparativas. O docente falou também da necessidade da preparação técnica para a competição no mercado global, explicando que não é só aderir, os países têm de criar as condições técnicas para puderem participar como atores nestes mercados globais. Ganhos, bem como os grandes desafios que Cabo Verde tem, como membro da Organização Mundial do Comércio, foram outros aspetos apresentados pelo docente da Uni-CV.

O Técnico Superior do Ministério de Indústria, Comércio e Energia, por sua vez, discursou sobre o historial de Cabo Verde, desde o ano de 1999, em que se despoletou o processo, até à sua aceitação como membro da OMC em 2008. Não obstante sua fraca capacidade de influência, o orador deixou claro que hoje Cabo Verde tem alguma influência sobre alguns pequenos estados insulares. Deixou claro que os processos de negociação da adesão a OMC são processos que têm a sua especificidade uma vez que os países têm de definir as suas prioridades. Terminou a sua alocução debruçando-se também sobre os desafios que Cabo Verde enfrenta para a sua sobrevivência ou desenvolvimento no mercado global.