IMG_7649.JPG

A Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes da Universidade de Cabo Verde (FCSHA-Uni-CV) celebrou o dia Nacional da Morna, em 3 de dezembro, no auditório do Campus do Palmarejo.

O professor Lourenço Gomes, em representação a Universidade de Cabo Verde, destacou a importância e a pertinência da promoção da Morna, uma das mais representativas expressões da identidade cabo-verdiana, a caminho da consagração como Património Cultural Imaterial da Humanidade.

“A Morna, enquanto manifestação cultural cabo-verdiana, faz parte da cultura das ilhas e nesta condição integra o todo que enforma o património de conhecimentos materiais e espirituais em que os cabo-verdianos, desde a sua génese como povo, se movimentam e de que vimos, secularmente, servindo para satisfazer as nossas necessidades físicas, fisiológicas e espirituais”.

A celebração contou com uma mesa-redonda sobre “Vida e Obra de B.Léza (Francisco Xavier da Cruz)” patrono do Dia Nacional da Morna, “O processo de candidatura da Morna a Património Cultural Imaterial da Humanidade”, “A configuração Poético-musical da Morna em Eugénio Tavares” e “A expressividade lírica de B.Léza na Morna”.

Para a mesa-redonda foram convidados Carlos Gonçalves, Edson Brito, George Tavares Silva, Elter Manuel Carlos e Elvira Reis.

O Dia Nacional da Morna foi instituído como parte do processo da candidatura da Morna a Património Cultural Imaterial da Humanidade em homenagem ao compositor e músico B.Léza, nascido nesse exato dia no ano de 1903.

A data foi celebrada pela primeira vez em 2018, em homenagem a B.Léza, aos compositores, intérpretes e músicos cabo-verdianos.

Dia Nacional Norna